sexta-feira, 31 de julho de 2015

Citação do Dia - 31 de julho de 2015

"A maior parte dos homens utiliza a melhor parte da vida para tornar a outra infeliz."
Jean de La Bruyère

quinta-feira, 30 de julho de 2015

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Citação do Dia - 29 de julho de 2015

"É preciso ter chorado para imortalizar o riso no livro, na estrofe, na sentença, na palavra."
Camilo Castelo Branco

terça-feira, 28 de julho de 2015

Divulgação: Sabor de Maboque - Dinalivro

 Publicado pela Dinalivro 

Sabor de Maboque


De Dulce Braga
A Magia Africana


Sinopse: 


     Dois meses após a Revolução dos Cravos, uma jovem nascida e criada no coração de Angola passa, como de costume, as férias grandes na metrópole, desta feita, num clima de grande rebuliço, antevisão do que seria a sua existência dali em diante. Ao regressar à ainda colónia portuguesa em África, as sementes da futura guerra civil fazem-na temer pelo primeiro amor, pelos amigos, pela família e pela sua situação socioeconómica confortável. Um pouco antes da independência de Angola, a angústia condu-la ao Brasil, país em que decide esquecer a infância e a adolescência para não ter de enfrentar as cicatrizes do passado. Trinta anos depois, porém, a árvore da vida exige-lhe um resgate das suas raízes e a abertura da mala de cânfora, onde guardara as memórias da terra natal. Diário de uma luta pela sobrevivência, a saga de Dulce Braga entrelaça o dramatismo das experiências vividas com episódios pitorescos e anedóticos, conferindo à narrativa um sabor agridoce único, um sabor a Angola, um sabor de maboque.



A Magia Africana


     Dulce Braga nasce a 16 de abril de 1958 no coração de Angola, mais precisamente na Nharêa, vila da província do Bié onde também frequenta a escola primária. Uma década depois, prossegue os estudos no Colégio de Nossa Senhora da Paz, no Kuito, cidade em que permanece até concluir os dois últimos anos pré-universitários no Liceu Nacional Silva Cunha. A 26 de setembro de 1975, já em plena guerra civil, foge para o Brasil com toda a família e fixa residência em Capinas, em cuja faculdade de Economia ingressa. Cinco anos mais tarde, casada e empresária, mergulha na grande missão da sua vida: a maternidade, graças ao nascimento dos filhos, Gabriela e Marcelo. Através das histórias que lhes conta para adormecer, revisita as memórias da sua meninice africana, processo que culmina, em outubro de 2009, com o lançamento do romance autobiográfico Sabor de Maboque. Em maio de 2011, já com esta obra na sua terceira edição brasileira, recebe da Câmara Municipal de Campinas o Diploma de Mérito Literário.

Opinião sobre "O Baloiço Vazio" - Carla Lima

O Baloiço Vazio
(Artigo de Opinião)


Autora: Carla Lima
ISBN: 978-989-8629-44-9
Nº de páginas: 88
Editora: Pastelaria Studios


Sinopse


    "Eu deitada na cama, de barriga para cima, com os olhos fechados e os braços cruzados sobre o peito.
- O que estás a fazer?
- Estou a fingir que estou morta.
- Porquê?
- Porque me apetece. Importas-te?
- Mas porquê?
- Porque antes estar morta do que viver assim.
- Assim como?
- Numa prisão.
- Numa prisão?
- Estou presa a ti.
- Estamos presos um ao outro.
- Nem a fingir de morta me deixas em paz."


Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela autora em troca de uma opinião sincera

Opinião

    Começo por agradecer à autora, Carla Lima, que gentilmente me cedeu este exemplar do seu livro de estreia.

     Achei a capa curiosa - os tons negros e os contornos de uma figura feminina sob o céu -, mas foi a sinopse que me deixou verdadeiramente intrigada. Contrariamente à maioria da de outros livros, esta sinopse não nos oferece uma ideia do que poderemos encontrar ao longo do livro: a sinopse é um fragmento do próprio livro, um pequeno excerto dos vários episódios desconcertantes apresentados.

    No prefácio, escrito por Carolina Cordeiro, somos logo prevenidos acerca do facto de este ser um livro que nos facultará mais perguntas do que respostas. No entanto, dificilmente nos preparará para aquilo com que nos iremos confrontar. Todo o mistério e a insanidade que se encondem por detrás da protagonista, Ana, ligam-nos mais a ela, através de laços gerados por sentimentos de condescendência.


  Narrado na primeira pessoa por Ana, o livro confunde momentos presentes com ocorrências passadas, assim como baralha situações reais com acontecimentos que derivam dos distúrbios da personagem. As circunstâncias expostas são sempre um tanto marcantes/traumatizantes.

   Toda a trama gira em torno do romance de Ana e Bruno, uma relação algo disfuncional que abala profundamente a estabilidade mental dela. A negligência pela parte de Bruno é constante, o que pode semear um certo ódio e aversão no leitor em relação a esta personagem mas, à medida que a história se desenrola, vamos compreendendo um pouco melhor as suas escolhas e atitudes.

   Li este livro em pouco mais de uma hora. A estrutura é maioritariamente dialogal e a escrita é relativamente simples, embora o enredo seja intenso e complexo. Existem poucas personagens, pois a sua importância é quase irrelevante, uma vez que a história é essencialmente focada no casal protagonista.

   Ana é alguém que nos faz pensar. Oscilando entre momentos de loucura e recordações fortes, funde os seus desejos, os seus traumas e a realidade, tornando-se um pouco difícil e, simultaneamente, intrigante para o leitor "desemaranhar" os acontecimentos e arrumá-los no seu devido lugar, numa tentativa de a compreender a ela e à sua história, e de separar o que é real do que é fruto da sua imaginação. Insegura, romântica e sonhadora são as três palavras que, na minha opinião, melhor descrevem a protagonista.

  O desfecho foi o que mais me surpreendeu. Totalmente inesperado e até sinistro, diria. As revelações das últimas páginas ajudam-nos a compreender e a encaixar importantes pormenores, o que contribui para o entendimento geral da narrativa.

    Não posso deixar de reparar no pouco cuidado demonstrado na revisão do livro, pois este apresenta diversos erros ortográficos. Fora isso, e apesar de a história ser bastante curta, considero que consegue captar e amarrar o leitor à sofrida história de Ana.

   Apesar de a obra ser, em toda a sua extensão, um pouco invulgar, resta-me dizer que gostei e que aconselho vivamente a leitura. E aguardo expectante o próximo livro da autora!



Música que aconselho para acompanhar a leitura: Bring Me To Life_Evanescence


Para mais informações, consulte a página no Facebook do livro: https://www.facebook.com/baloicovazio

Divulgação: O Baloiço Vazio - Carla Lima

O Baloiço Vazio 



De Carla Lima



Sinopse: 

"Eu deitada na cama, de barriga para cima, com os olhos fechados e os braços cruzados sobre o peito.

- O que estás a fazer?
- Estou a fingir que estou morta.
- Porquê?
- Porque me apetece. Importas-te?
- Mas porquê?
- Porque antes estar morta do que viver assim.
- Assim como?
- Numa prisão.
- Numa prisão?
- Estou presa a ti.
- Estamos presos um ao outro.
- Nem a fingir de morta me deixas em paz."




     Carla Lima tem 35 anos e é natural de Ponta Delgada, S. Miguel, Açores. Com 18 anos foi para Lisboa estudar Psicologia, mas passados dois anos mudou para Cinema, Televisão e Publicidade. Estagiou e trabalhou como assistente de produção em diversas produtoras audiovisuais. Em 2007 tirou o curso de Argumento na Restart, Instituto de criatividade, artes e novas tecnologias.Posteriormente, estagiou nas Produções Fictícias. Fez um curso de escrita de ficção com a escritora Rita Ferro de onde nasceu este livro. Actualmente reside em Ponta Delgada com a sua gata Nelly e já trabalha num novo livro.

Para mais informações, consulte a página no Facebook do livro: https://www.facebook.com/baloicovazio

Citação do Dia - 28 de julho de 2015

"Quem sou eu para mim? Só uma sensação minha."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 27 de julho de 2015

domingo, 26 de julho de 2015

Citação do Dia - 26 de julho de 2015

 "A filosofia é a ciência que nos ensina a ser infelizes da maneira mais inteligente."
Groucho Marx

sábado, 25 de julho de 2015

Divulgação: O Despertar - Pergaminho

Publicado pela Pergaminho

O Despertar


De Lycia Barros
Às vezes, a única maneira de vencer uma tentação é ceder a ela...



Sinopse: 

     Aos 18 anos, Angelina está prestes a viver o maior desafio da sua vida: sair da cidade natal de Petrópolis, deixando para trás o amor e a proteção da sua família e dos seus amigos, para estudar ma universidade, no Rio de Janeiro.

    Assim que se instala na república de estudantes e começa a frequentar as aulas, Angelina percebe que as dificuldades serão muitas. Divide um quarto com uma colega desorganizada, que vive de festa em festa e sempre com más companhias. Não há dúvida, a vida de estudante não é como Angelina sonhava: as condições são precárias, as aulas, desmotivantes, e o ritmo de vida é cansativo.

     É então que Angelina conhece Alderico, ou Rico, um homem lindo, fascinante, irresistível. Para sua surpresa, vem a descobrir que Rico é o seu professor de Linguística; e - surpresa ainda maior! - está igualmente interessado nela...

     Deslumbrada com a descoberta da paixão e certa de que Rico é o seu grande amor, Angelina atira-se de cabeça na relação, ignorando os conselhos que recebera dos pais a vida inteira. Ao mesmo tempo, começa a ter sonhos estranhos, que não consegue compreender, sobre homens que se transformam em feras... Será que algum poder superior lhe está a tentar enviar uma mensagem?


Um romance arrebatador que retrata os dramas e as provações de uma jovem que se afasta da sua essência e tenta encontrar o caminho de volta ao amor verdadeiro.

    Lycia Barros é escritora e conferencista. Nasceu no Rio de Janeiro, onde fez o curso de Letras, e dedica-se à escrita desde 2010. O Despertar foi galardoado com o Prémio literário Codex de Ouro e o Prémio Areté de Literatura.

Citação do Dia - 25 de julho de 2015

 "É preciso termos muito bom senso para sentirmos que não temos nenhum."
Pierre Marivaux

sexta-feira, 24 de julho de 2015

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Divulgação: A Espia do Oriente (Freelancer #2) - Nuno Nepomuceno

 A Espia do Oriente
(Freelancer #2)



De Nuno Nepomuceno
O segundo volume da trilogia Freelancer


Sinopse: 


Dubai, Emirados Árabes Unidos.

     De férias na região, um investigador norte-americano é raptado do hotel onde se encontrava instalado. Uma nova pista sobre um antigo projecto de manipulação genética é descoberta e a Dark Star, uma organização terrorista internacional, está decidida a utilizar os conhecimentos deste cientista para ganhar vantagem.

     Contudo, de regresso à Europa, uma das suas operacionais resolve trair o sindicato do crime e oferece-se para trabalhar como agente dupla ao serviço da inteligência britânica. O mistério adensa-se quando esta mulher, de nome de código China Girl, impõe como uma única condição colaborar com André Marques-Smith, o director do Gabinete de Informação e Imprensa do Ministério dos Negócios Estrangeiros português e espião ocasional.

     Obrigados a trabalhar juntos para evitarem um atentado a uma importante líder europeia, uma atmosfera tensa, de suspeição e desconfiança, instala-se de imediato entre os dois. Mas que segredos esconderá esta mulher cujo próprio nome é uma incógnita? Serão as suas intenções autênticas? Será o espião português capaz de resistir à sua invulgar e exótica beleza?


Dúvida. Confiança. Traição.

    Nuno Nepomuceno nasceu em 1978, nas Caldas da Rainha. É licenciado em Matemática pela Universidade do Algarve e reside na região Oeste.

    Em 2012, venceu o Prémio Literário Note! com O Espião Português, o seu primeiro romance. É também autor dos contos Redenção e A Cidade, este último incluído na colectânea O Desassossego da Liberdade. A Espia do Oriente é o seu novo livro, o segundo da série Freelancer. Encontra-se a trabalhar na conclusão da trilogia.

     Vencedor do Prémio Literário Note! 2012, Nuno Nepomuceno regressa com A Espia do Oriente, o segundo livro da série Freelancer. Por entre os cenários reais de Budapeste, Berlim, Londres, Courchevel, Dubai e Lisboa, o autor transporta-nos para um mundo de mentiras, complexas relações interpessoais e reviravoltas imprevisíveis. Uma reflexão profunda sobre os valores tradicionais portugueses, contraposta com a sua já habitual narrativa intimista e sofisticada, e que vai muito além do tradicional romance de espionagem.


Para mais informações, consulte o site do autor: www.nunonepomuceno.com/

Divulgação: O Espião Português (Freelancer #1) - Nuno Nepomuceno


O Espião Português
(Freelancer #1)


De Nuno Nepomuceno
E se toda a sua vida não passar de uma mentira?


Sinopse: 



Estocolmo, Suécia.
Encerramento da presidência da União Europeia.

     Quando André Marques-Smith, o jovem director do gabinete de Informação e Imprensa do Ministério dos Negócios Estrangeiros português é enviado à capital sueca, está longe de imaginar que aquele será um ponto de viragem na sua vida.

   Ao serviço de Cadmo, a agência de espionagem semigovernamental para a qual secretamente trabalha, recupera a primeira parte de um grupo de documentos pertencentes a um cientista russo já falecido. Mas quando regressa a Portugal, tudo muda. Uma nova força obteve a segunda parte do projecto e, de uma forma violenta e aterrorizadora, resolveu mostrar ao mundo que está na corrida pelos estudos do cientista.

     Por entre cenários reais de cidades como Estocolmo, Roma, Viena, Londres e Lisboa, a luta pelo inovador projecto começa, os disfarces sucedem-se, as missões multiplicam-se. E, enquanto é forçado a lidar com os condicionalismos de uma vida dupla, André vê-se inesperadamente envolvido num mundo de mentiras e traições, o mesmo que o levará a fazer uma descoberta que poderá mudar toda a Humanidade.


E se toda a sua vida, tudo aquilo em que acredita, não passar de uma mentira? O que faria?  

     Nuno Nepomuceno nasceu em 1978, nas Caldas da Rainha. É licenciado em Matemática pela Universidade do Algarve e reside na região Oeste.

      Em 2012, venceu o Prémio Literário Note! com O Espião Português, o seu primeiro romance. Já lançou também o segundo volume da série Freelancer, A Espia do Oriente.

     Vencedor do Prémio Literário Note! 2012, O Espião Português funde elementos tradicionais da ficção de espionagem com uma abordagem inovadora, intimista e sofisticada. Thriller intenso e vertiginoso, ode à família, amizade e amor, este é um romance imprevisível e contemporâneo ao qual não conseguirá ficar indiferente.


Para mais informações, consulte o site do autor: www.nunonepomuceno.com/

Dub - Dressed Up Books

Dressed Up Books



     Se ler se aprende aos seis e é como andar de bicicleta |nunca mais se esquece| um livro é transversal a várias gerações, pode fascinar dos 8 aos 88, ser lido uma ou vinte vezes, interpretado de forma simples ou rebuscada por pessoas da mesma idade ou separadas por tempos diferentes.
O livro não deixa, no entanto, de ser um objecto que pessoas comuns pelo mundo inteiro abrem nas mais diversas situações, seja na viagem mais longa que alguma vez fizeram ou para passar os cinco minutos que separam as estações de metro de casa ao trabalho, na esplanada do café ou na sala de espera do dentista. Os livros são atirados para dentro de mochilas, carteiras, sacos de praia, pastas de trabalho ou até sacos de compras.
     dub | dressed up books | surge disto tudo e da ideia de uma mãe e de uma filha, Vera e Madalena, separadas por 30 anos, uma formada em Letras outra em Arquitectura, de criarem uma capa em tecido para livros que fosse prática, reutilizável independentemente da espessura do livro e totalmente lavável. Nasce assim o modelo THE ORIGINAL existente em diversos padrões, constantemente actualizados para que o João Maria e a Maria João sentados na mesma esplanada não estejam a ler "um livro igual".



     Este produto prima pela originalidade e pela utilidade. Adaptáveis, modernas, laváveis e reutilizáveis, estas capas têm a particularidade de se ajustarem a cada livro, acompanhando-o por viagens de sonho. A grande variedade de padrões disponíveis oferece-lhe diversos modelos por onde escolher.
     Os livros proporcionam-nos momentos de prazer, evasão e aprendizagem e, por vezes, são tratados sem grande respeito. As dub ajudam-no a proteger estes tesouros, de forma eficaz e elegante.


Alguns modelos














   São, sem dúvida, um belo presente e um excelente legado! 



Para mais informação consulte o site: http://dub.com.pt/
ou a página no Facebook: https://www.facebook.com/dressedupbooks

Divulgação: Revolta (Wayward Pines #2) - Suma de Letras

Publicado pela Suma de Letras 

Revolta
(Wayward Pines #2)


De Blake Crouch
O primeiro volume da trilogia Wayward Pines


Sinopse: 

     Aninhada entre montanhas perfeitas, a idílica cidade de Wayward Pines é um paraíso... se esquecermos a vedação electrificada e o arame farpado, os franco-atiradores que vigiam tudo permanentemente e a vigilância atenta que detecta cada palavra e cada gesto.

     Nenhum dos residentes sabe como chegou aqui. É-lhes dito onde trabalhar, como viver e com quem casar. Alguns acreditam que estão mortos, que isto é a vida depois da morte. Outros acreditam que estão presos numa comunidade experimental. Em segredo, todos sonham com a fuga, mas os poucos que se atrevem a tentar têm uma surpresa aterradora.

     Ethan Burke viu o mundo do outro lado. Ele é o xerife da comunidade e um dos poucos que conhecem a verdade.


Wayward Pines não é apenas uma cidade. 
E o que está do outro lado da vedação é um pesadelo.

     Blake Crouch, um dos novos escritores-estrela de thrillers americano, nasceu na Carolina do Norte em 1978. Licenciou-se em Inglês e Escrita Criativa e cinco anos depois já tinha editado dois romances. Desde então publicou mais oito romances, além de novelas, contos e artigos. Muitas das suas obras foram compradas para adaptação ao cinema, nomeadamente o último romance que será transposto ao grande ecrã e publicado pela Suma de Letras.


Opinião da Imprensa:

"Crouch incorpora, de forma brilhante, filosofia política e uma trepidante investigação. numa distopia carregada de fantasia e suspense."_Booklist

"Blaje Crouch é um autor que sabe exactamente o que faz. Esta sequela fascinante devora-se de uma assentada."_Bloody Disgusting

Divulgação: Paraíso (Wayward Pines #1) - Suma de Letras

Publicado pela Suma de Letras 

Paraíso
(Wayward Pines #1)


De Blake Crouch
O primeiro volume da trilogia Wayward Pines



Sinopse: 


      As crianças brincam na rua e os pássaros chilreiam nas árvores quando o agente dos Serviços Secretos Ethan Burke chega a Wayward Pines, uma pequena localidade nas paisagens bucólicas de Idaho.

     A sua missão é clara: encontrar dois agentes federais que desapareceram há dois meses naquele lugar idílico. Apenas alguns minutos depois de chegar, Ethan sofre um violento acidente e acorda no hospital: sem documentação, sem telemóvel, sem a sua pasta de investigação.

     À medida que a investigação avança, as dúvidas são cada vez mais numerosas e inquietantes do que as respostas. Porque não consegue Ethan comunicar, de forma nenhuma, com a mulher e o filho? Por que razão todos duvidam da sua identidade? Qual é o propósito do muro electrificado que circunda a cidade? Impedir os habitantes de sair... ou impedir alguma coisa de entrar?

     A cada passo que dá na procura da verdade, Burke afasta-se cada vez mais do mundo que pensava conhecer e do homem que pensava ser. Até que esbarra numa dúvida aterradora: será ele capaz de sair de Wayward Pines?


Paraíso... o lugar de onde não deveríamos querer sair

    Blake Crouch, um dos novos escritores-estrela de thrillers americano, nasceu na Carolina do Norte em 1978. Licenciou-se em Inglês e Escrita Criativa e cinco anos depois já tinha editado dois romances. Desde então publicou mais oito romances, além de novelas, contos e artigos. Muitas das suas obras foram compradas para adaptação ao cinema, nomeadamente o último romance que será transposto ao grande ecrã e publicado pela Suma de Letras.


Opinião da Imprensa:

"A escalada de suspense do romance é difícil de suportar mas a reviravolta final consegue ir ainda mais além. Uma leitura trepidante, impossível de parar."_Booklist

"Wayward Pines é mais um excelente esforço de um escritor que, posso garantir, consegue criar mundos capazes de nos rebentar a cabeça e ainda mais..."_Fantasy Book Critic

"Gosto de brincar com algumas ideias no que toca a romances que brincam com o mistério, mas fico sempre surpreendido com a revelação final. É difícil acrescentar algo de novo e diferente. Quase sempre o final leva-nos para algo óbvio. Mas Blake Crouch conseguiu criar algo completamente diferente e espectacular."_Tor.com


Citação do Dia - 23 de julho de 2015

"Para encontrar a esperança é necessário ir além do desespero. Quando chegamos ao fim da noite, encontramos a aurora."
Georges Bernanos

quarta-feira, 22 de julho de 2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

Citação do Dia - 21 de julho de 2015

 "Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe por provar o contrário."
Albert Einstein

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Novidade da Suma de Letras - Doce Tortura

Novidade da Suma de Letras Portugal 

Doce Tortura


De Rebecca James
Uma intensa e viciante história sobre a obsessão, a vulnerabilidade e a duplicidade


Sinopse: 
  


     Quando Tim Ellison encontra um quarto barato para alugar num dos melhores locais de Sydney, parece um golpe de sorte: estará perto do restaurante onde trabalha e ainda mais perto do seu lugar preferido para praticar surf. Mas há uma condição para que possa arrendar o quarto: Tim terá de fazer todos os recados à misteriosa dona do quarto, uma mulher muito reservada e pouco amistosa, que nunca abandona a casa.

     Tim esforça-se cada vez mais por conhecer melhor a figura inquietante de Anna. A princípio muito reservada, ela começa a revelar-se aos poucos: a sua história, a sua tristeza, os seus medos paralisantes.

    É então que começam a acontecer coisas estranhas na casa: golpes a meio da noite, figuras inexplicáveis nas sombras, mensagens sinistras nas paredes. Tim assusta-se porque, ao mesmo tempo que o seu desconforto em relação àquela casa vai aumentando, crescem também os seus sentimentos pela bela e misteriosa dona da casa.

    Que tipo de pessoa será Anna London: alguém que merece compaixão, alguém para amar ou alguém para temer?


"Nos meus sonhos, é como se a casa tivesse intenções sinistras, 
como se os seus alicerces contivessem uma força maligna que se infiltra no chão e nas paredes e contamina o ar no seu interior, mudando as vidas de todos os que ali entram. No entanto, na vida real, Fairview não foi responsável pelo que aconteceu. Foram as pessoas que fizeram o mal."


     Rebecca James nasceu em Sydney em 1970. Durante a infância e a juventude, viveu em várias cidades da Austrália, incluindo Bourke, Sydney, Wellington e Bathurst. Já trabalhou como empregada de mesa, operadora numa central de táxis e professora de Inglês na Indonésia e no Japão. Neste momento, vive na Austrália com o marido e os quatro filhos. O seu primeiro livro, Não Há Bela Sem Senão, está publicado na Suma de Letras. Doce Tortura é o seu segundo romance.


Opinião da Imprensa:

"Um livro cheio de surpresas. As personagens são fascinantes e, ao mesmo tempo, suficientemente horríveis para nos manterem presos à necessidade de virar as páginas."_Booklist

"Rebecca James tece uma história envolvente e bem estruturada. A tensão e o suspense criam-se de forma quase imperceptível."_Crime Review

"Com toques do clássico Rebecca de Daphne du Maurier a assombrar o romance, misturados com questões sociais, sexuais e de identidade."_Booktrust

"À medida que os sentimentos entre Tim e Anna se intensificam, assim como os acontecimentos estranhos dentro da casa, acontece o mesmo com a vontade de virar as páginas do romance e descobrir o que acontece a seguir."_All You

"Rebecca James é particularmente boa a criar atmosfera de intriga em que a casa quase se transforma numa personagem."_WriteNoteReviews

Citação do Dia - 20 de julho de 2015

 "Perante o mundo que muda, mais vale pensar a mudança que mudar o pensamento."
Francis Blanche

domingo, 19 de julho de 2015

Citação do Dia - 19 de julho de 2015

  "Devemos gostar de uma convicção apenas porque é verdadeira e não porque é nossa."
Vissarion Belinski

sábado, 18 de julho de 2015

sexta-feira, 17 de julho de 2015

#3 - Pistas Literárias


Pistas:

   - A autora americana inspirou-se em programas de televisão para escrever esta trilogia, nomeadamente num reality show e num sobre a Guerra no Iraque. O mito do Teseu e o minotauro também lhe serviu de orientação.

     - A ação decorre num período futurístico, numa nação criada após a destruição da América do Norte.

    - A protagonista, de 16 anos, adora arco e flecha e voluntariou-se para uma experiência de morte para salvar a irmã mais nova.


Qual é o livro?

Opinião sobre "Segredos Obscuros" (Sebastian Bergman #1) - Hjorth & Rosenfeldt

Segredos Obscuros
(Sebastian Bergman #1)
(Artigo de Opinião)

Autores: Michael Hjorth & Hans Rosenfeldt
Título Original: Det Fördolda (2010)
Tradução: Jorge Pereirinha Pires
ISBN: 978-989-8775-53-5
Nº de páginas: 544
Editora: Suma de Letras Portugal


Sinopse


     Sebastian Bergman é um homem à deriva. psicólogo de formação, trabalhava como profiler para a polícia e era um dos grandes especialistas do país em serial killers. Perdeu tudo quando o tsunami no continente indiano lhe levou a mulher e a filha.

   Tudo muda com uma chamada para a polícia. Um rapaz de dezasseis anos, Roger Eriksson, desapareceu na cidade de Västerås. Organiza-se uma busca e um grupo de jovens escuteiros faz uma descoberta macabra no meio de um pântano: Roger está morto e falta-lhe o coração.

    É o momento de Sebastian se confrontar com um mundo que conhece demasiado bem. O Departamento de Investigação Criminal pede ajuda a Sebastian. Os modos bruscos e revoltados do psicólogo não impedem a investigação de avançar. E as descobertas sobre a escola que Roger frequentava são aterradoras.



Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela Suma de Letras em troca de uma opinião sincera

Opinião



     A expectativa e a ânsia por este livro foram sendo cultivadas, progressivamente, através das imagens e das mensagens misteriosas publicadas, esporadicamente, na página do Facebook da Suma de Letras. Primeiramente, eram apenas frases soltas que acompanhavam imagens em composição, preparando-nos para a publicação de um novo livro pela editora. Seguidamente, foi-nos revelado que seria um policial nórdico. Era com muita curiosidade e entusiasmo que atualizava constantemente a página da editora, com esperança de que houvessem novas pistas sobre esta recente aposta. E, depois, um primeiro vislumbre do livro.

     Assim que chegou o meu exemplar, confesso que não tive coragem de o abrir de imediato. Em vez disso, examinei cada canto da capa, cada pormenor, cada detalhe. Cada segredo. Olhei para ele durante muito tempo. Já há muito que o desejava. Desde o momento em que li a sinopse. E agora, ele estava ali, nas minhas mãos. Abri-o, folheei-o. Uma ilustração. Continuei a desfolhá-lo até ao fim. Na última página, outra ilustração. A imagem completa. Na altura, não entendi completamente o porquê das imagens. Mas, à medida que me fui embrenhando na história, entendi. A primeira ilustração representa a origem, a ignorância, o princípio. Porém, assim que vamos penetrando mais a fundo, começamos a ligar os pormenores, a construir na nossa cabeça o perfil do assassino. A transição de uma gravura para a outra, a transição da ignorância para o conhecimento, do início para o fim. Apesar destas imagens estarem muito bem pensadas e apelativas, estou bastante certa de que bastaria a primeira frase do livro para me prender inteiramente - "O HOMEM não era um assassino.".



     Sebastian Bergman, o protagonista desta coleção, é um homem complexo. É um psicólogo criminal que perdeu a mulher e a filha no tsunami de 2004. Desde aí,  tem sido atacado por pesadelos todas as noites, e tem-se refugiado essencialmente no sexo. Aquando do falecimento da mãe, vê-se obrigado a ir até Västerås, para tratar da venda da casa dos seus pais. Descobre, entre arrumações, umas cartas que a sua mãe trocou com uma Anna Eriksson, que afirmava estar grávida dele. É atrás da miragem de ter outro filho seu no mundo, que Sebastian decide entrar na investigação do assassinato de Roger Eriksson, um rapaz de 16 anos que foi encontrado morto, num lago, sem o coração. Um caso que, inicialmente, tinha reunidas todas as condições para o fracasso, é deixado nas mãos da Riksmord, uma equipa especializada. As provas, escassas, apontam sempre para diversas direções, levando-nos por buscas infrutíferas, e dei por mim a duvidar de tudo e de todos. São-nos apresentados alguns pontos de vista do "homem que não era um assassino", mas nunca é possível descobrir através deles quem é o nosso homem. No entanto, servem para fomentar a curiosidade, pois podemos vislumbrar o caso pela perspetiva de um homem em negação, incapaz de sentir remorsos.


     O livro oferece-nos dois grandes mistérios: quem é o "homem que não era um assassino" e quais as suas motivações; e quem é o(a) filho(a) de Sebastian. Todavia, toda a história está repleta de pequenos segredos obscuros e de grandes revelações que nos aprisionam desde a primeira até à última página. Narrado a partir de diferentes perspetivas, oferece-nos o ponto de vista das várias personagens, o que enriquece o nosso conhecimento da obra, e que nos incute ainda mais a necessidade de não parar.

     Vê-mo-nos atacados por sentimentos de amor/ódio para com o protagonista: Sebastian consegue ser extremamente egoísta e autocentrado, mas não deixa de ser um homem inteligente e solitário. Não gostei dele automaticamente, contrariamente à maioria de outros protagonistas, principalmente devido ao facto de ele esquecer os seus problemas e descarregar as suas frustrações em sexo, e também resultante da questionabilidade da sua ética profissional. Mas, assim que vamos conhecendo melhor a personagem, vamos compreendendo um pouco melhor a sua personalidade.

     Gradualmente, vamos conhecendo Roger, o jovem assassinado. Um rapaz com poucos amigos, vítima de bullying,  desejoso de se sentir integrado e amado. Embora estivesse morto, este foi um dos personagens de que mais gostei, não pelo seu carácter, que nos foi dado a conhecer pelos que o rodeavam, mas pela construção da identidade deste desconhecido. É ele a chave de tudo.



   Para aliviar um pouco da tensão do enredo principal, os autores presenteiam-nos com diversos momentos de humor, que nos permitem recuperar o fôlego para prosseguir na investigação. Esses momentos são essencialmente vividos por Sebastian e por Haraldsson. Haraldsson é uma personagem que nos consegue, facilmente, inspirar pena pelas suas diversas tentativas falhadas de tentar contrariar a estagnação da sua carreira na polícia de Västerås; tal como, ao mesmo tempo, consegue despertar raiva por estar constantemente a empatar a investigação. 

     O livro tem a particularidade de ser muito fiel à realidade: as personagens são muito humanas. Têm os seus defeitos e as suas virtudes, medos e sonhos, vivem momentos bons, tal como experienciam situações mais complicadas. Mas são pessoas comuns. Não têm poderes mágicos, não leem mentes nem têm um carácter particularmente extraordinário. Cometem erros. E, na minha opinião, isso aproxima o livro com o leitor, porque facilmente nos conseguimos rever em algumas das ações protagonizadas.

  Este livro é intrigante, desde o início até ao fim. Extraordinariamente bem pensado, e igualmente bem escrito. Arrisco-me a dizer que é um dos melhores policiais que já li. Prolonguei ao máximo a leitura, não queria que acabasse. Espero inquietamente pelos restantes volumes desta coleção. Recomendo!


Música que aconselho para acompanhar a leitura: Do I Wanna Know_Arctic Monkeys

Citação do Dia - 17 de julho de 2015

  "Não admitas 'à priori' nada que possas verificar."
Rudyard Kipling



quinta-feira, 16 de julho de 2015

Divulgação: O meu nome é... - Editorial Bizâncio

Publicado pela Editorial Bizâncio

O meu nome é...


De Alastair Campbell
Ela gosta de beber um copo.
Todos os que a rodeiam sofrem com isso

Sinopse: 


     Hannah tem 17 anos e bebe para se sentir melhor. Por um momento. Depois a dor de alma regressa, mais intensa.
  
     Esta é a história da adição de Hannah contada pelos que a rodeiam: os pais, a irmã, os tios, os amigos. As suas vozes trazem-nos um relato por vezes chocante, por vezes ternos, de uma vida à beira da destruição.

Uma viagem impressionante ao mundo do alcoolismo

     Alastair Campbell nasceu no Yorkshire em 1957. Licenciou-se em Cambridge e foi jornalista, trabalhando principalmente para o grupo Mirror. Quando Tony Blair se tornou líder do Partido Trabalhista, Campbell foi o seu secretário de imprensa, porta-voz oficial e director de comunicação de 1994 a 2003. É autor de Os Anos de Blair e dos romances Está Tudo na Cabeça e Maya, ambos publicados pela Editorial Bizâncio.


Opinião da Imprensa:

"Fascinante"_Guardian

"Uma história comovente, oportuna e muito bem documentada... O desenrolar da história através dos relatos de cada  uma das pessoas que rodeiam Hannah durante a sua espiral de autodestruição é uma estratégia inteligente que dá ao leitor uma panorâmica completa do que é a vida junto de um alcoólico vulnerável e em negação."_The Times

"Formidável"_The Independent

"Este livro soberbo é, em simultâneo, triste, tremendo e inspirador. Todos os pais, todos os jovens, qualquer pessoas que 'gosta de um copo', deveriam lê-lo."_Anne Robinson

"Campbell escreve com grande mestria e subtileza. As personagens são convincentes e diferenciadas... Um romance admirável."_Financial Times

Citação do Dia - 16 de julho de 2015

  "Cada homem é uma humanidade, uma história universal."
Jules Michelet

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Novidade da Suma de Letras - Caos (Wayward Pines #3)

Novidade da Suma de Letras Portugal 

Caos
(Wayward Pines #3)



De Blake Crouch
O último volume da trilogia Wayward Pines, agora também série de sucesso na Fox


Sinopse: 

     Passaram três semanas desde que Ethan Burke chegou a Wayward Pines. 

   Os residentes desta cidade não comandam as suas vidas: não escolhem com quem casar, onde viver e onde trabalhar. As crianças aprendem desde cedo que Deus é David Pilcher, o criador da cidade. Ninguém está autorizado a sair. E uma coisa tão simples como fazer perguntas pode significar a morte.

     Mas Ethan descobriu o surpreendente segredo que existe além da cerca electrificada que rodeia Wayward Pines e que a protege do assustador mundo exterior. É um segredo que mantém toda a população sob o controlo absoluto de um louco e do seu exército de seguidores. Um segredo que está prestes a transpor os muros de Wayward Pines e ameaça acabar com o último e frágil reduto de humanidade.

     O último volume da trilogia Wayward Pines - agora também série de sucesso na Fox - vai mantê-lo preso até à última página.

A nova aposta da Suma de Letras Portugal vem encerrar
uma trilogia de sucesso mundial!

     Blake Crouch, um dos novos escritores-estrela de thrillers americano, nasceu na Carolina do Norte em 1978. Licenciou-se em Inglês e Escrita Criativa e cinco anos depois já tinha editado dois romances. Desde então publicou mais oito romances, além de novelas, contos e artigos. Muitas das suas obras foram compradas para adaptação ao cinema, nomeadamente o último romance que será transposto ao grande ecrã e publicado pela Suma de Letras.


Opinião da Imprensa:

"Uma conclusão extraordinária para uma série impressionante. Caos vai colocá-lo no centro da acção trepidante e do terror absoluto... E quem gostaria de estar em outro lugar?"_Suspense Magazine

"Caos é extremamente cativante e está carregado de suspense. O triângulo amoroso só aumenta a tensão e a intriga. O fim é surpreendente e muito satisfatório."_New York Journal of Books

"O suspense galopante e o perigo a que as personagens são submetidas são tão plausíveis que é impossível não ficar profundamente imerso na história."_Top of the Heap Reviews


Citação do Dia - 15 de julho de 2015

  "O homem é um animal de hábitos."
Charles Dickens

terça-feira, 14 de julho de 2015

segunda-feira, 13 de julho de 2015

sexta-feira, 10 de julho de 2015

#2 - Pistas Literárias

Pistas:

   - Este livro é um best seller, tal como a maioria dos livros deste autor americano que vive, atualmente, na Carolina do Norte. Foi adaptado ao cinema em 2010.

    - A protagonista é uma rapariga de 17 anos que se vê obrigada a ir, juntamente com o irmão, passar as férias de Verão com o pai. Contrariada, faz de tudo para complicar a vida ao progenitor. No decorrer das férias, mete-se em confusões e é "apanhada" pelo primeiro amor.

     - Quando a relação entre pai e filha começa a melhorar, ele vê-se forçado a contar aos filhos que têm um cancro no pâncreas em fase avançada. Ele acaba por falecer mas, durante os seus últimos dias de vida, a filha não sai do seu lado, aproveitando os últimos momentos juntos.


Qual é o livro?