sexta-feira, 6 de julho de 2018

Opinião sobre "Um de Nós Mente" - Karen M. McManus

Um de Nós Mente
(Artigo de Opinião)


Autora: Karen M. McManus
Título Original: One Of Us Is Lying (2014)
ISBN: 978-989-234-198-9
Nº de páginas: 336
Editora: Gailivro


Sinopse

    Simon Kelleher é o criador do Má-Língua, uma nova aplicação que está a encurralar a elite de Bayview High, revelando pormenores da vida privada dos alunos da escola. 

     Mas o caso torna-se mais grave quando Simon e quatro colegas ficam fechados de castigo numa sala, e ele morre diante das suas vítimas. 

     Os quatro que se tornam suspeitos imediatos do homicídio, são:
   A melhor aluna da escola, BRONWYN, que nunca viola uma regra e quer entrar em Yale. A estrela da equipa de basebol de Bayview, COOPER. NATE, o criminoso, que está em liberdade condicional por vender droga. A menina bonita, ADDY, que parece ter a vida perfeita ao lado do namorado perfeito. 

     Que segredos queriam esconder para eliminar Simon?
     Quem será o culpado?

Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela Gailivro em troca de uma opinião sincera

Opinião

      Começo por agradecer à Gailivro pelo gentil envio do livro.

    "Um de Nós Mente", a estreia de Karen M. McManus, foi um livro que adorei e que me surpreendeu pelos melhores motivos! 

      A história começa quando cinco alunos da Bayview High - Bronwyn Rojas, Cooper Clay, Nate Macauley, Addy Prentiss e Simon Kelleher - se encontram na sala do castigo por uma infração que afirmam não ter cometido. Estas personagens, que parecem ser o encarnar dos típicos clichês de uma escola secundária americana, não podiam ser mais diferentes. Temos Bronwyn, a menina certinha e inteligente que sonha entrar em Yale; Cooper, o desportista que tenta ganhar uma bolsa de estudo; Nate, o rufia que já foi preso por tráfico de droga; Addy, a rapariga bonita que namora com o rapaz mais social da escola. E depois temos Simon, um rapaz que espalha os podres e os segredos de toda a gente na sua aplicação, o "Má-Língua", e que não sai vivo daquela sala. 

      Os quatro têm motivos para querer ver Simon morto, mas todos afirmam estar inocentes. Será que estão a dizer a verdade, ou que, um deles, mente?

      Os capítulos são narrados, alternadamente, sob a perspetiva dos quatro jovens suspeitos, o que nos permite não só conhecer a sua visão da história, mas também descobri-los enquanto seres individuais - os seus sonhos, os seus medos, os seus ambientes familiares... e os seus segredos. Como temos acesso aos pensamentos de cada personagem, formavam-se constantemente teorias na minha cabeça, que eram fabulosamente arrasadas no capítulo seguinte. Este constante desconfiar das personagens, aliado à ânsia de descobrir quem eram os inocentes e os culpados, fez com que não conseguisse pousa o livro antes de descobrir quem realmente matou Simon.

    O que mais gostei neste livro foi o facto de a autora ter pegado em personagens aparentemente clichês - a crânio, o atleta, o criminoso e a princesa - e, partindo delas, ter desconstruído estereótipos, mostrando que as pessoas são mais complexas do que o que a imagem exterior indicia. E foi exatamente isso que apreciei durante a leitura: ir conhecendo as diversas camadas dos personagens, compreender a influência do ambiente em que cresceram nas suas personalidades e motivações, decobrir o que escondem abaixo da superfície.

   O único aspeto menos bom que tenho a apontar é o facto de, a certa altura da história, a investigação policial ficar um pouco em segundo plano, uma vez que o principal foco incide nas quatro personagens principais, no que está a acontecer nas suas vidas e na forma como estão a lidar com o sucedido. Isto não é necessariamente uma coisa má, uma vez que não senti falta dessa componente mais policial para a manutenção da tensão durante a leitura.

    Adorei o resultado da mistura de personagens YA com o suspense do thriller, sendo que, mais do que de mistério, "Um de Nós Mente" é um livro cheio de segredos. A autora desenvolveu uma trama intrigante e inteligente, cheia de reviravoltas, mas que acaba também por abordar temas mais sérios. Esta foi uma leitura extremamente rápida e viciante, principalmente à medida que me ia sentindo cada vez mais vinculada às personagens, sempre no limbo entre acreditar e desconfiar delas. Muito bom!

 Música que aconselho para acompanhar a leitura: John Mayer_Free Fallin'

1 comentário: